Do outro lado da rua

Eu confesso. Fiz, sim. E daí? Ah, agora vai me dizer que nunca fizeste também? Todos fazem. É impossível não ficar incomodado. O pior é o cheiro...

Às vezes dá até dó, porque fica lá largado, entregue, sem forças e com aquele olhar de cachorro pidão. Mas você quer que eu faça o quê? Já passei por isso, mas agora, felizmente, eu tenho o meu cantinho, não preciso ficar aí jogado às traças e, ainda por cima, pedindo bis, sendo que nada mais entra nesse organismo devasso. Game Over, filhão. Desiste! Não vou dar nada pra ti hoje.

 

Lembro de um dia que me encontraram assim. Nossa! Eu estava daquele jeito. Parecia o fim da linha naquela noite. Pensei que ia morrer de tanta solidão e tristeza. Mas aí você começa a conviver com ela e percebe que nem tudo está perdido. O caminho não é dos melhores, mas talvez seja um atalho para lá. E ainda por cima têm a vantagem de ficar sempre com a cabeça em exercício máximo de alucinação. É, meu querido... As coisas não são fáceis desse lado da rua. Enquanto todos evitam passar por aqui, eles têm apenas esse canto para sobreviver. Sim, sobreviver. Viver são outros quinhentos.

Queria ver você passar por isso. Ser ignorado, chutado, desrespeitado... queimado.

 

Vai, me ajuda aqui. Só quem já passou por isso sabe o que é, xará. Eu não sou da perua da sopa, nem da Igreja, mas essa noite ele não fica aqui. Vamos dar um pouco de vida a este sobrevivente...

 

Renê e Fernando escrevem todas as terças e quintas aqui, no Drunk Memories.



Escrito por Renê e Fernando às 08h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


    ON-OFF - Aquela que você bebe e apaga!
    Votação
    Dê uma nota para
    meu blog



    Outros sites
     Haja Saco
     Varal de idéias
     Procurando a Poesia
     Ao Som do Silêncio
     Intelecta City
     Last Letters
     Desagradável
     MUDE
     Fala Aí!
     Mundo Etílico
     Chongas
     Haznos
     Irmãos Brain
     O Buteco
     Resistindo
     Siri Loko
     Treta
     De Pensar Morreu um Burro
     Boteco Escola
     Futebol, Política e Cachaça
     Boteco Sujo
     A Cronista
     Mesa de Calçada




    Camisetas Drunk Memories Sem Meias Palavras